sexta-feira, 16 de julho de 2010

PRAXIA GLOBAL

Segundo Ajuriaguerra (in FONSECA, 1992:224), “a organização práxica decorre da coordenação de três subsistemas fundamentais: o somatograma (conhecimento integrado do corpo), os engramas (integração cognitiva e emocional das experiências anteriores) e o apticograma (integração dos estímulos externos que abrangem a função gnóstica).”
Há sinais de descoordenação mais característicos como: “dismetrias, que retratam a inadaptação às distâncias e aos movimentos exagerados e mal-inibidos; as distonias, que identificam os movimentos tônicos, involuntários, intermitentes e certas paratonias¹° sem qualquer significação funcional; as disquinesias, que identificam os movimentos anormais que surgem efetivamente nas posturas ou nos gestos finalizados, normalmente anárquicos e bruscos, característicos das sacudidelas breves e parasitas, e, por último, as dissincronias, que sugerem inadequada velocidade dos movimentos com dissincronismo e ausência de sinergias a demonstrar desintegração rítmica óbvia, ou seja, a perda de melodia cinética, que segundo Lúria, traduz a realização da praxia.”(FONSECA,1992:228).A praxia é o ato motor harmonioso, provocado pela interação de vários fatores psicomotores importantes como a tonicidade, a equilibração, a lateralização, a noção do corpo, e a estruturação espaço-temporal, ocorrendo de forma precisa e eficiente.
fonte: DO ABANDONO AO REENCONTRO COM O DIÁLOGO TÔNICO (Luciana Gurgel,2007)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário