sexta-feira, 16 de julho de 2010

PRAXIA FINA

A mão é a parte central da função da praxia fina. Começou a ser muito utilizada pelos primatas, e também sofreu diversas modificações em suas funções. Por isso podemos dizer que hoje a mão é a parte do corpo que mais utilizamos, pois através dela temos acesso ao mundo que nos rodeia, permitindo que desde bebês tenhamos acesso ao meio ambiente que nos rodeia e também ao corpo.
No início do crescimento infantil, a mão torna-se uma das principais formas de diálogo tônico do bebê com sua mãe. Durante a amamentação a criança pode segurar no seio da mãe, e toda sua temperatura é reconhecida pelo bebê através deste toque.
O bebê nas fases iniciais do seu desenvolvimento utiliza mais a palma da mão (reflexo palmar), que irá posteriormente deixar de ser um reflexo para ser um movimento intencional.
Os movimentos mais precisos, como o de pinça realizado pelos dedos polegar e o indicador da mão, vão sendo aprendidos e cada vez mais utilizados nas fases pré escolar e escolar da criança. Mais tarde, a mão se torna um membro fundamental na execução da escrita (forma de representação gráfica da comunicação humana), sendo efetuada pela preensão destes dois dedos com o lápis.
Segundo Bower (in FONSECA,1992:247), a capacidade de preensão de onde evolui ontogeneticamente a praxia fina, pode revelar-se antes do nascimento. A mão é muito utilizada também pelos fetos, com 14 a 16 semanas de gestação, onde já é possível se visualizar toques (em si mesmo) em algumas partes do seu corpo.
FONTE: DO ABANDONO AO REENCONTRO COM O DIÁLOGO TÔNICO (Luciana Gurgel,2007)

Um comentário:

  1. Adorei o blog! como podemos trocar informacoes e materiais a respeito da psicomotricidade?

    Abraco, François,

    Meu email é toothh@hotmail.com

    ResponderExcluir